© 2016 feito com ❤ por CARTÕES-POSTAIS DE VIAGENS IMAGINÁRIAS

  • b-facebook
  • Twitter Round
  • Instagram Black Round

Doe-se!

18.12.2016

 Certa vez, eu estava indo tomar café com uma amiga e vi um carro parando em frente a uma praça que eu considero perigosa. Fiquei olhando curiosa para saber o porquê daquele carro estacionar exatamente ali. Para minha surpresa, desceu um casal de meia-idade carregando vários pacotinhos de alumínio. Imediatamente, cerca de cinco pessoas que estavam espalhadas a esmo na praça, uns deitados e outros sentados, começaram a ir em direção ao casal. Parecia que aquela não era a primeira vez que o casal entregava comida naquela praça, pois existia uma familiaridade no ar, as pessoas que se aproximavam já sorriam e conversavam amistosamente com eles. 

 

 Não é necessário ir muito longe, em algum lugar próximo de nós existe alguém ou alguma instituição precisando de ajuda. Duas amigas têm o costume de pegar o carro durante a Páscoa e sair por aí distribuindo chocolates às crianças de rua; elas voltam para casa tão renovadas e felizes. Lembrar destes casos, me faz pensar nas pessoas que trabalham em instituições que cuidam de pessoas menos favorecidas. No quanto elas se doam diariamente neste exercício gratificante de fazer o bem a alguém. Exercício este que, apesar de gratificante, também exige muito das pessoas: tempo, dedicação, paciência... Estes itens tão raros hoje em dia na vida de muitos...

 

Todos os dias temos a oportunidade de nos doar. Não precisa ser com algo material. Doe-se! Ofereça o seu tempo, a sua dedicação, o seu afeto. Doe-se para quem você conhece, para quem você não conhece, mas doe-se! Se você for olhar no dicionário, a definição do verbo doar está atrelada à palavra gratuitamente. Mas isto não é verdade. Doar-se é uma troca, uma retroalimentação. Doe uma palavra amiga e ganhe de presente um sorriso, doe o seu ombro amigo e ganhe um abraço. Experiente algum dia doar-se a uma instituição, você irá se surpreender com a quantidade de amor que habita nestes lugares.  

 

É indescritível a sensação de ver tantos olhinhos brilhando ao desembrulhar um presente e ao abraçar um Papai Noel, de sentir a gratidão das pessoas ao ajudá-las a se arrumarem, embelezarem, aumentar a sua autoestima e proporcionar um dia diferente nas vidas delas. E principalmente nas nossas. Custa tão pouco e a gente recebe tanto em retribuição... Sei que é disto que a minha alma se alimenta. Do do abraço, do sorriso, do toque, do olho brilhando, e quanto mais eu dou, mais eu recebo e mais eu quero dar. Tudo isso vai virando uma enorme bola de neve de energia vital. 

 

Lembre-se: mesmo que você ainda não possa mudar a realidade daquela pessoa, que seu ato seja mais assistencialista do que transformador. Não desperdice a oportunidade, doe-se! 

Share on Facebook
Share on Twitter
Please reload

This site was designed with the
.com
website builder. Create your website today.
Start Now